terça-feira, fevereiro 21, 2017

Microfones Irresponsáveis.

Recentemente o colunista da Radio Band, Ricardo Boechat, envolveu-se em uma polêmica ao emitir vários comentários desairosos e equivocados em relação à Marinha Brasileira, mais especificamente sobre a desativação do Porta-Aviões São Paulo.

A noção de responsabilidade dos ditos formadores de opinião, aqueles que têm a oportunidade de se postar diariamente na frente de Microfones com enorme audiência e fazer a cabeça de inúmeros brasileiros é, normalmente, indiretamente proporcional ao conhecimento específico dos temas em que este comunicador aborda. Quero dizer com isso que quanto menos conhece sobre um assunto, mais se sentem confortáveis ao emitir opiniões.

Com certeza, Boechat desconhece que o adestramento de uma Marinha não se faz do dia para a noite. Países como o nosso, que não sofre ameaças militares reais ou cuja sociedade não produz riqueza a ponto de permitir que se mantenham um sistema de defesa moderno, que esteja no estado da arte da tecnologia de defesa, precisam manter seus adestramentos utilizando-se de material inferior tecnologicamente, normalmente de segunda mão, mas que lhes dê o mínimo de condições de manter suas equipes adestradas visando evoluções possíveis em seu cenário militar.

Denomina-se isto de núcleo mínimo de adestramento.

É assim que a Força de Submarinos ha mais de 50 anos vem atuando com proficiência e criando um núcleo mínimo de oficiais e praças capacitados que possam guarnecer, no futuro, submarinos mais modernos como os que estão previstos no ProSub e até submarinos nucleares. Seria impossível o salto imediato, da total ausência de experiência submarinista, para a equipagem de submarinos nucleares.

Entendeu Boechat? Provavelmente este texto neste modesto Blog não chegará a V.Sa., e por isso até peço para aqueles que concordarem com o que está exposto, que compartilhem, para que estas linhas tenham uma mínima change de alcançar este "formador de opinião".

Banheiras ou não, os Porta-Aviões Minas Gerais e São Paulo cumpriram adequadamente este papel, permitindo aos aviadores e comandantes navais o mínimo de treinamento que os capacite a dar um salto para equipamentos mais modernos quando e se a Sociedade permitir ou a ocasião surgir.

Este tipo de desinformação acontece muito também porque a sociedade brasileira, diferente do que acontece nos países desenvolvidos, encara a defesa nacional como um assunto dos militares, quando devia ser objeto de preocupação de toda a sociedade civil.

sexta-feira, fevereiro 10, 2017

Fora Netos!

A recente história no país vêm fazendo com que cada vez mais famílias de classe média cogitem imigrar para outros países mais civilizados onde possam educar seus filhos afastando-os desse mundinho mediocre da falta de ética e de honestidade que graça na Sociedade brasileira.

É comum o brasileiro criticar as atitudes anti-éticas de seus políticos como se cada cidadão fizesse diferente na eventualidade de chegar e alguma das câmaras desde as municipais até federal passando pelas estaduais; mas o fato é que a maioria não faria diferente. Os acontecimentos recentes, como a greve da polícia nos Espirito Santo, deixou às claras que a população, sem a coerção policial, descamba para atos de vandalismo e roubos por saques demonstrando o verdeiro estrato de onde são recrutados os nossos políticos. Os políticos agem de acordo com os valores ou falta deles com os quais cresceram e se desenvolveram na sociedade.

Os vários anos de deseducação através de uma doutrinação criminosa de esquerda, a nefasta ditadura do politicamente correto e o currículo deficiente aliado aos baixos índices de eficiência de nosso sistema de ensino criou uma população sem ética e que não cultua os mínimos valores cívicos.

Muitos de nós, como eu, e que fomos formados por outro sistema de valores, já estamos em uma idade segundo a qual não esperamos mais nada deste país, mas temos netos e para estes todos desejam o melhor. Portanto, para salvá-los deste país dos coitadinhos, mandemo-los, se possível, para fora do Brasil.

domingo, janeiro 22, 2017

Conspiração, Ética e Caos

Surgem, como é comum no país, miríades de teorias conspiratórias para tentar desqualificar como acidente e classificar como possível assassinato o ocorrido com o avião em que viajava o Ministro Teori Zavascki, do STF, mas entendo ter sido uma fatalidade que assume esses contornos conspiratórios devido a uma conjunção de fatores agravantes pelo fato de estar em jogo a relatoria da Lava-Jato.

Pelos relatos de testemunhas oculares, parece claro que o acidente aconteceu devido a decisões erradas a partir de avaliações imprudentes que levaram uma aeronave tripulada apenas com um piloto, sem copiloto, a enfrentar uma situação de mau tempo em direção a um aeródromo que só opera com visibilidade ampla e teto mínimo de 450 m. Tudo indica, como dizem os especialistas, que o piloto perdeu o horizonte, mas vão aparecer inúmeras teorias conspiratórias, faz parte de nossa cultura.

A criação dessas histórias chega ao cúmulo da falta de ética ao inventarem narrativas sobre controladores de voo em um aeroporto que sequer possui controle de voo, citar emissão de habeas-corpus fictício proferido por um Ministro que está de férias. Falam até de dados de Caixa Preta sequer analisada ainda pelos peritos. Uma caixa preta que, inicialmente, a FAB informou que não era requisito neste tipo de aeronave. Eles nem sequer têm cuidado com o que afirmam, o objetivo é criar dúvidas em um momento que as pessoas estão confusas. Até ilações, irrelevantes em relação ao acidente, sobre a vida pessoal dos passageiros já começaram. Precisamos ficar atentos para estes fomentadores do caos.

Agora o que temos que esperar é que a Presidente do Supremo aja com presteza para evitar que um novo ministro viciado pela indicação de réus assuma a relatoria. Não é uma situação normal e ela pode, seguindo o regimento do STF, impedir isso.